O Direito Achado na Rua: nossa conquista é do tamanho da nossa luta

Quem somos

“Kant e Fichte buscavam o país distante, pelo gosto de andar lá no mundo da lua,mas eu tento só ver, sem viés deformante,o que pude encontrar bem no meio da rua”
Epigrama Hegeliano n° 3, de Karl Marx.


Sejam bem-vindas e bem-vindos,

O coletivo “Diálogos Lyrianos” é um espaço de articulação de reflexões e ações em torno das questões atuais da sociedade brasileira e latino-americana, que foi organizado a partir do arcabouço teórico de “O Direito Achado na Rua”.

A concepção de "O Direito Achado na Rua" é fruto da reflexão e da prática de um grupo de intelectuais reunidos no movimento Nova Escola Jurídica Brasileira (NAIR), cujo principal expoente foi o professor Roberto Lyra Filho[1].

A proposta do “Diálogos Lyrianos” e deste blog é manter aberto e permanente o diálogo entre o pensamento do professor Roberto Lyra Filho e o pensamento de outros e outras que, como ele, distinguem-se pela sensível preocupação com a emancipação de mulheres e homens.

Esse diálogo é a vocação permanente de “O Direito Achado na Rua”. Para além do espaço de pesquisa acadêmica e institucional propriamente dita, que tem como referência a linha de pesquisa de mesmo nome no Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB), é um espaço aberto e democrático de dinamização das interlocuções de pessoas que buscam criticamente pensar e viver o Direito, sob o signo da libertação de mulheres e homens.

Por fim, as atividades do grupo de estudos são integrantes do processo de constituição e consolidação do pensamento do prof. Roberto Lyra Filho nas múltiplas leituras que são feitas de sua obra, a partir dos olhos, das práticas e das interlocuções de quem vive o tempo e os dilemas do presente.

Verbete explicativo sobre O Direito achado na Rua:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Direito_Achado_na_Rua

[1] SOUSA JUNIOR, José Geraldo. Introdução Crítica ao Direito. Série O Direito Achado na Rua, v. 1, 1993, p. 07.